Viagens aos tormentos, às depressões, aos vazios, e ao drama! Ao amor, e à morte!

11
Set 17

Aos males do Mundo... a paz, a concordância, e o amor. Guiado pela obscenidade, pelo ódio, pela ignorância. Ao nosso amor! Clamo às profundezas da Terra, à inocência das crianças. As lágrimas não saram as feridas que te corromperam a alma, a criança que há em ti. "Socorro! Anceio o amor, e o teu abraço." Hoje, sonhei contigo. Senti que estavas ao meu lado. Sorriste-me! Um arrepio, subiu-me pela alma. Um frio negro tomou conta da minha felicidade. Passou-me a mão. Arr! Juro que era o próprio Diabo. Tentei acordar, e não consegui. Faltaram-me as forças. Senti que era e sou incapaz de afugentar o mal que me amarra à frieza, à ignorância, ao rancor, e ao ódio. Mas a ti não! Tudo, menos tu... Tu, és a única pessoa que me faz sorrir, e gritar ao mundo que nada temerei. Nem a perda nem a morte! Tudo, menos perder-te a ti. A tua familia não quer, mas um fia destes contatmram-me um segredo. Eu juro, que aquele rosto era muito familiar. "Apraz-me dizer a vossa senhoria, que ele teme sofrer, ficar só. Aos olhos dos que lutam contra toda a insanidade, o mundo está prestes a terminar." Foi tudo tão estranho... aquilo era a Idade Média! Os trajes daquele velho faziam-me temer a vida, a liberdade, e o amor! Como se fosse o condutor da alegria que fez parte de mim. Enganam-se, os que tentam oprimir o amor! Ah, o amor! A crença de que o mal não está presente. Digam a esses tolos que o medo, a perda, a traição e a morte são omnipresentes! Ah ah ah! Pobres! Seus ignorantes! Não me falem de amor! Já não sei o que é isso. O meu coração, a minha destreza, e a minha bondade fugiram de mim. Faz tempo... Acerca-me o mal. Pobre de mim! Eu é que anseio o mal. As lágrimas, corrompem-me auando tento sorrir. Depois disto tudo, eu choro. Tornei-me fraco... As amrguras da vida, têm-me transtornado, abatido. Têm-me sofrer tanto. Socorro! Sinto que este não sou eu. Eu não sou assim, eu nunca fui assim. Gostava de receber um abraço, e que tudo voltasse a ser como antes! Mas não dá! Lamento, perdoa-me eu já não aguento viver na mentira. Depois de tantas coisas passadas na minha vida, uma delas é a certeza de ser feliz. Bela, faz a tua vida. Sê feliz, só não me esqueças. Não esqueças o nosso eterno amor. Nunca!

publicado por Ângelo Virtuosa às 14:08
 O que é? |  O que é? | partilhar | favorito

Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO